Obituário Michael Lewis Stricklin
5 de setembro de 2022
Nova pesquisa do Ipec mantém favoritismo de Silvio para vencer no 1º turno
13 de setembro de 2022
Exibir Tudo

Não se enganem com a cor da chita!

Ato pró-Bolsonaro no Rio/Imagem: Reprodução Twiter Ciro Nogueira

Por esta o PT, as esquerdas e a imprensa não esperavam: as manifestações de rua convocadas pelo presidente Jair Bolsonaro, para o 7 de setembro, superaram todas as expectativas.

As últimas pesquisas de intenção de voto indicam que o presidente estava perdendo terreno na corrida pela reeleição, descendo ladeira abaixo.

Nestas circunstâncias, o que se esperava, então, era que os atos públicos pró-Bolsonaro resultassem em tremendo fiasco.

Os adversários do presidente calcularam que o Brasil de hoje ainda é o de 1992.

Naquele ano, o presidente Fernando Collor, acuado diante do processo de impeachment e com a popularidade no chão, convocou os brasileiros a saírem às ruas com as cores da Bandeira nacional.

O tiro saiu pela culatra. Os brasileiros saíram de preto. O governo caiu ali.

Os adversários de Bolsonaro certamente acreditavam que a história iria se repetir ontem. Ledo engano.

Nunca antes na história deste país um presidente da República carregou tanta gente para a rua, em manifestações absolutamente pacíficas.

Quando o presidente JK decidiu construir Brasília, a UDN matreiramente aprovou no Congresso Nacional o projeto de mudança da capital, na suposição de que Juscelino não conseguiria realizar tal empreitada e se enterraria politicamente.

JK construiu Brasília em tempo recorde e se consagrou como a maior figura pública brasileira do século 20.

Até sábado passado, ninguém deu um pio sobre a convocação das manifestações de rua pró-Bolsonaro, pois a convicção de seus adversários era a de que elas seriam um fracasso e, com isso, o presidente estaria sepultado.

Diante do surpreendente e estrondoso sucesso das manifestações, no entanto, todos gritam agora que o presidente transgrediu a Lei Eleitoral.

Bolsonaro não é imbatível, mas tem se mostrado um osso duro de roer. Seus adversários não impedirão sua reeleição subestimando sua força eleitoral e insistindo no autoengano.

Este seria, ao contrário, o caminho mais curto para um novo e fatal desapontamento como o ocorrido ontem.

1 Comment

  1. Meu amigo, é por isso que gosto de suas análises e interpretações dos eventos de nossa vida política mafrense! O amigo sempre colocava a verdade e a razão à frente de qualquer outra coisa!

    Parabéns pela acurada percepção desses últimos fatos de nossa política!

    Paz e bem para todos!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *