Eleição para o Senado – quem vem lá!
24 de abril de 2022
Música no ar, amor no coração
8 de maio de 2022
Exibir Tudo

Fim de festa com o dinheiro público

A mídia local registrou uma boa notícia na semana que se finda: o cancelamento, por determinação judicial, de um show do cantor Wesley Safadão que seria pago com alta soma de recursos públicos.

A apresentação estava contratada para o dia 20 de junho próximo, no aniversário do município de São Pedro do Piauí – a 110 quilômetros ao Sul de Teresina.

O anúncio do show foi feito pelo prefeito Junior Bill (Progressistas), que exibiu nas redes sociais um vídeo ao lado do cantor.

Pelo que foi divulgado, o artista cobrou um cachê de R$ 550 mil para uma apresentação com 1 hora e 20 minutos de duração.

Fim da festa

Pois bem! O Ministério Público, através do promotor de Justiça Nielsen Silva Mendes Lima, entrou com ação para barrar o show.

O juiz Márcio Gurgel de Castro acatou o pedido e determinou o seu cancelamento.

A decisão foi tomada em razão das dificuldades enfrentadas pelo município, “que vem sofrendo com uma enorme precariedade nos serviços públicos, como educação, saúde, saneamento básico e outros”.

Em sua decisão, o juiz Ítalo Márcio Gurgel de Castro sugere que existem inúmeros artistas que prestam serviço de qualidade por preços infinitamente menores“.

Pedagogia

A decisão tomada pela Justiça em São Pedro do Piauí é pedagógica. Ela deve ser repetida em todos os municípios piauienses que venham a se meter em tais aventuras com os recursos públicos.

Uma soma superior a meio milhão de reais para o cachê de um artista seria alta até para Teresina. Imagine para um município sem renda, como São Pedro, que sobrevive praticamente do FPM.

A decisão da justiça merece, então, todos os louvores, pois foi tomada para proteger as finanças públicas.

Sumidouro

Há tempos, os shows artísticos de qualidade duvidosa e carnavais fora de época se transformaram em sumidouro de dinheiro público no Piauí.

Houve uma trégua apenas no período da pandemia, mas parece que a sanha volta com força total.

Tudo feito sem a menor cerimônia nas barbas do Ministério Público, da Justiça e dos órgãos de controle.

Felizmente, de São Pedro do Piauí vem essa alentadora decisão que pode significar o começo do fim dessa desavergonhada farra com os parcos recursos públicos.

1 Comment

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *